Seguidores

quinta-feira, 20 de julho de 2017

RIMAS DO CORAÇÃO

De todas as possibilidades encontrei a solidão
Me vi sozinho, me revesti de coragem no meio da multidão.
Já vi a poesia sendo escrita a mão, já vi meu corpo caído
Prefiro fechar os olhos e imaginar que não.
As grades cercavam meu preciosismo, se alimentavam do nada
O nada que fui e que não sou mais, o nada teima em terminar o verso
Mas, o nada não passa de introdução, por isso sou inverso.

Sou metade do que a mocinha pensa que sou
Não sou livro aberto! Nem tenho peças de reposição
Sou revestido de ódio e amo do fundo do coração.
Lamento percas que machucam, lamento a hora de partir
Quando a sirene soa, os gritos alarmam e percebo que devemos ir.

Conheci uma garota que adora rimas, conheci mais do que precisava
Conheci mais do que devia, ela que não imaginava que um dia eu, a seduziria.
Ganhei toda Velocidade...ganhei tudo que não havia
Ganhei cicatrizes, regressos e a pureza da verdadeira poesia.
Preciso mergulhar no fervor das sensações
Não posso me enganar com frias intenções.
Hora dessas te conto como foi, te digo como é
Ser herói vestido de vilão, ser honesto, ser profundo
ser completamente...emoção.



2 comentários:

  1. Senti esse como um fechamento ou início de um outro ciclo, seja poético ou pessoal não sei! Mas como ritual de passagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. foi poetico. foi pessoal. e tambem fazendo a roda girar.
      obrigado pela leitura meu querido.

      Excluir